Pensamentos IX

Agosto 28, 2006

Mais 2 pensamentos, que de certa forma estão ligados. Não são inteiramente originais, por isso passem isso à frente nos comments e comentem as frases em si.

22 – Sentir dor tem a utilidade de nos fazer sentir vivos e lembrar-nos que um dia estaremos mortos.

23 – Viver não é o antónimo de morrer: viver é morrer aos poucos.

Pensamentos VIII

Maio 17, 2006

21 – A sociedade atravessa um surto de feminilização. Como consequência disso, o género masculino está cada vez mais sensível, mas também passou a agir de forma sub-reptícia, coscuvilheira, distante, fria, racional. O homem viril e brutalmente directo extingue-se…

PS: Como este pode ser comentado de muitas formas e tem mais texto que a média, não ponho mais para já.

Pensamentos VII

Março 3, 2006

Mais 2 incitações à polémica (ou não):

19 – Os vulgares não enlouquecem, porque não pensam. Mas também existem loucos vulgares, aqueles que loucos nasceram.

20 – A piedade castra a evolução, tal como a inflexibilidade e a irracionalidade.

Pensamentos VI

Fevereiro 11, 2006

Aí estão mais 3:

16 – Crueldade e sensibilidade só podem coexistir num invólucro: o ser humano.

17 – Já estamos mortos no dia do nosso nascimento. Porquê a felicidade?

18 – Nunca negues a tua verdadeira natureza. No final, ela acaba sempre por se revelar. O Tempo é a mão que remove as máscaras.

Pensamentos V

Janeiro 30, 2006

Mais um sarcasmo, no estilo de alguns anteriores, e algo para pensarem de seguida.

14 – Há vida após a morte? Os mortos que se manifestem…

15 – Alguns homens escavam o seu abismo; outros tentam escapar daquele em que sempre viveram.

Pensamentos IV

Janeiro 19, 2006

Como o feedback tem sido positivo, aqui vão mais 3. Espero que continuem a comentar, que eu agradeço.

11 – O homem de visão sonha ser Deus, por lhe parecer claro que o posto está vago.

12 – Se Deus existe, não é um paradigma de bondade, nem de maldade, mas da mais pura indiferença.

13 – Dentro de cada pessoa existe uma colecção de máscaras. Algumas colecções são tão vastas que o coleccionador se esquece da máscara primordial. Noutras apenas se usa uma, a da vulgaridade.

Pensamentos III

Janeiro 15, 2006

A Moral e Um Sarcasmo Ligeiro

9 – A obsessão pela perfeição do número sete no cristianismo chegou ao cúmulo de se designarem sete defeitos vulgares como pecados mortais. Condenar os preguiçosos e os gulosos ao Inferno só pode ter sido ideia concebida pelos invejosos e irados, outros pecadores mortais e como tal sem moral para julgar os outros.

10 – O homem só ascenderá aos céus por um meio: de avião.

PS: 9 relacionada com 5 e 10 com 3.
PS2: Não subestimem 10 por usar um aspecto demasiado moderno para se fazer entender. Para bom entendedor…
PS3: Obrigado pelos comentários e incentivo a prosseguir.